Diga não ao desperdício

28 de março de 2016

shutterstock_50802709

Em 22 de janeiro, o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) e a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) lançaram a campanha “Pensar. Comer. Preservar. Diga não ao desperdício” em Genebra, Suíça.

A campanha é mais um esforço dos organismos da ONU para lidar com um dos problemas mais graves do planeta: o crescimento populacional versus a escassez de alimentos em certas regiões e o desperdício inaceitável em outras.

Embora seja destinada a consumidores, comerciantes e setores da gastronomia e hospedagem, a campanha apresenta informações a respeito do desperdício de alimentos do plantio ao consumo final.

Segundo a FAO, 95% da perda de alimentos ocorrem nos países em desenvolvimento no início da produção. Contribuem para isso limitações financeiras e técnicas, dificuldades para armazenamento, infraestrutura e transporte precários.

Nos países desenvolvidos, o desperdício é maior nos pontos de venda. Grandes quantidades de alimentos são descartadas por causa da aparência imperfeita e da data de validade. Quanto ao consumidor, o desperdício é detectado no exagero, seja nas compras, seja no preparo da comida. Muito do que vai para a geladeira é jogado fora depois.

Números do desperdício

No portal www.thinkeatsave.org, estão reunidos números expressivos do que ocorre pelo mundo, bem como ações que devem ser desencadeadas pela campanha.

. Mais de 20% das terras cultiváveis, 30% das florestas e 10% dos pastos no mundo estão degradados;

. Pelo menos 70% da água consumida no mundo são utilizados pela agricultura;

. A produção de alimentos consome, globalmente, quase 30% da energia disponível para usuários finais;

. A agricultura acarreta mais de 30% das emissões globais de gases de efeito estufa;

. A pesca descontrolada é responsável pelo esgotamento de 30% das áreas pesqueiras;

. O desperdício per capita de alimentos varia de 95 a 115 kg por ano em países da Europa, América do Norte e Oceania;

. Um terço da produção global de alimentos é desperdiçado, o que equivale a 1.3 bilhão de toneladas por ano;

. Atualmente, os alimentos são desperdiçados numa proporção 50% maior do que nos anos 1970.

No mundo, uma a cada sete pessoas vai para a cama com fome e cerca de 20 mil morrem de fome todos os dias.

Dar o exemplo

Conter o desperdício dos alimentos é um desafio complexo que envolve questões econômicas, sociais e ambientais e demanda a participação efetiva de todo mundo, dos governantes e líderes globais aos cidadãos comuns.

Para o consumidor, a campanha propõe compras planejadas, sem excessos. Frutas e vegetais não precisam ter aparência perfeita para serem aproveitados. O importante é que estejam adequados para o consumo. Quando o prazo de validade nas embalagens indica “consumir preferencialmente antes de”, isso não significa que o produto não pode mais ser consumido. O consumidor deve avaliar o seu estado antes de jogá-lo fora.

Outras orientações incluem congelar alimentos, utilizar sobras que estejam em boas condições de consumo e até doar para bancos de alimentos, abrigos e instituições.

A campanha “Pensar. Comer. Preservar. Diga não ao desperdício” está ligada à SaveFood Initiative, ação organizada pela FAO e pela Messe Düsseldorf para combater a perda de alimentos, e ao Desafio Fome Zero, do Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon.

As organizações internacionais WRAP UK, de incentivo à reciclagem, e Feeding the 5,000, que distribui gratuitamente refeições feitas com alimentos que seriam descartados, se alinham a outros parceiros internacionais no apoio à iniciativa.

No Brasil, muitas empresas e instituições já atentaram para a importância do consumo responsável e trabalham no sentido de conscientizar seus colaboradores para que eles multipliquem boas práticas em casa e também na comunidade.

Sabemos que a mudança de hábitos é difícil, mas não impossível.

Fonte: Uol Educação

 

Entre em Contato Conosco

São Paulo: (11) 3145-1322

Mogi: (11) 4728-4359

Segunda a Sexta das 09:00 às 18:00 horas




A sua opnião é de grande interesse para a Graiche. Clique no botão abaixo e entre em contato por meio do nosso canal de atendimento.