COMPORTAMENTO EM CONDOMÍNIO – CANOS

8 de Fevereiro de 2018

Levante a mão quem nunca teve um problema de encanamento em sua vida. As dores de cabeça que acontecem quando a água ou gás começam a vazar tiram o conforto de qualquer um, principalmente na vida em condomínio.

Nesse artigo sobre os 5 Cs, vamos tratar das formas para resolver os problemas com canos no seu condomínio.

Veja o artigo anterior sobre os 5 Cs.

CANOS EM CONDOMÍNIOS

Antes de mais nada é preciso conhecer os principais motivos que causam problemas de vazamentos e entupimentos nos canos. Agindo na precaução, os problemas futuros tenderão a diminuir.

As principais causas de entupimentos

O óleo de cozinha usado é um dos principais inimigos dos encanamentos. Ele forma crostas nas paredes dos canos que, com o passar do tempo, acumulam detritos e o consequente entupimento.  É preciso criar uma conscientização sobre o descarte desse material. Existem políticas de sustentabilidade que aplicam ações para coleta de óleo.  O condomínio pode disponibilizar uma bombona para descarte do óleo em um lugar específico e com acesso para todos.

Os entulhos de reformas também são outra causa de entupimentos. Por isso muito cuidado e sempre proteja os ralos com um filme plástico para evitar o acúmulo de sujeira.

Falta de manutenção

Tal como elevadores e piscinas, os sistemas hidráulicos dos condomínios devem ter manutenções periódicas e preventivas. Neste serviço devem estar contemplados os desentupimentos e verificações de tubulações, limpeza de ralos e verificação de calhas. A falta desse tipo de cuidado pode causar problemas invisíveis que só serão descobertos quando a situação dos canos do condomínio estiver bem grave.

Canos de gás

Além do desperdício, o mais crítico nos problemas com canos de gás é o perigo de incêndios e explosões. Logo ao sentir o menor indício de cheiro de gás, comunicar a zeladoria imediatamente. O registro principal deve ser fechado e o distribuidor de gás deve ser acionado.

Inspeções periódicas

A inspeção periódica dever ser feita por um profissional especializado. A recomendação é que seja feita a cada 3 meses, mas isso dependerá do porte do condomínio, portanto fique sempre atento a reparos em válvulas ou torneiras pingando. É importante que o síndico discuta a necessidade em assembleia, apresentando opções de fornecedores desse serviço.

QUEM É O RESPONSÁVEL?

 Os moradores quando notam a presença de um vazamento ou infiltração na parede já responsabiliza o condomínio, mas nem sempre é o caso.

Quando ocorre na tubulação principal do prédio (canos verticais, colunas ou áreas comuns) a responsabilidade é do edifício e o problema deve ser resolvido pela administração do condomínio. Se o problema estiver na tubulação horizontal(ramais), deve ser resolvido pelo morador do apartamento. Em ambos os casos o ideal é reparar o quanto antes.

No caso da responsabilidade ser do condomínio, as despesas devem ser rateadas conforme a fração ideal de cada um dos condôminos ou conforme determinado na Convenção do Condomínio.

Já nos casos de responsabilidade do próprio morador, o condômino afetado e que se sentir prejudicado deve entrar em contato diretamente com o síndico para orientação a resolução do problema de forma amigável.

Caso a resolução amigável não funcione, o condômino deve formalizar o comunicado por notificação (2 vias impressas) e pedir a assinatura do notificado, que assim demonstrará conhecimento sobre o problema. Se  mesmo assim nenhuma atitude for tomada, a parte prejudicada, pode entrar com uma ação no Juizado Especial Cível para solicitar os reparos e possível indenização.

 

solucao-premiada

Compartilhe:

Entre em Contato Conosco

São Paulo: (11) 3145-1322

Mogi: (11) 4728-4359

Segunda a Sexta das 09:00 às 18:00 horas




A sua opinião é de grande interesse para a Graiche. Clique no botão abaixo e entre em contato por meio do nosso canal de atendimento.